Química

Seaborg


Glenn Theodore Seaborg foi um químico nascido em Ishpeming, no estado do Michigan, nos Estados Unidos, no dia 01 de abril de 1912. Sua principal importância foi a descoberta de vários elementos químicos.

Formou-se em Química em 1936 pela Universidade da Califórnia. Durante dois anos foi assistente de laboratório de Lewis. Em 1937, tornou-se doutor em Química em Berkeley, na Califórnia. Estudou sobre os elementos transurânicos e reações em pilhas atômicas.

Seaborg foi responsável pela síntese dos elementos plutônio, amerício, cúrio, berquélio, califórnio, einstênio, mendelévio, férmio e nobélio. Estes elementos artificiais foram desenvolvidos em Berkeley. Um dos seus trabalhos foi a identificação e descoberta de mais de 100 isótopos de elementos químicos. Seaborg foi quem teve a ideia da série dos actinídios.

De 1942 a 1946, Seaborg fez parte do Projeto Manhattan. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi diretor do Laboratório Metalúrgico da Universidade de Chicago, onde iniciou a produção industrial de plutônio e aperfeiçoou o método de isolamento deste elemento a partir dos produtos da reação. Foi professor de química desde 1945 e diretor do Laboratório de Radiações da Universidade da Califórnia.

Ainda em 1945, Seaborg publica uma tabela períodica com a nova série dos elementos, a série dos actinídios. Antes havia apenas os elementos actínio, tório, protactínio, urânio, netúnio e plutônio. Ele montou esta série de elementos tendo como base, a semelhança eletrônica dos elementos, como o actínio.

Em 1951 ganhou, juntamente com Edwin M. McMillan, o Prêmio Nobel de Química pela descoberta do plutônio. O elemento químico de número atômico 106 foi descoberto por cientistas de Berkeley e foi chamado de seabórgio em homenagem ao cientista Seaborg. Pela primeira vez um elemento recebe o nome de uma pessoa viva.

No dia 25 de fevereiro de 1999, Seaborg morre.

Video: Glenn Seaborg: Shaking Up the Periodic Table (Agosto 2020).