Química

Química tradicional: a Química do século XVII ao século XIX


Da metade do século XVII ao meio do século XIX, os cientistas já usavam métodos mais "modernos" de descobertas, testando teorias com seus experimentos.

Uma das grandes controvérsias era o misério da combustão. Dois químicos: Johann Joachim Becher e Georg Ernst Stahl propuseram a teoria do flogisto. Esta teoria dizia que uma "essência" (como dureza ou a cor amarela) deveria escapar durante o processo da combustão.

Ninguém conseguiu provar a teoria do flogisto. O primeiro químico que provou que o oxigênio é essencial à combustão foi Joseph Priestly. O oxigênio e o hidrogênio foram descobertos durante este período.

Foi o químico francês Antoine Lavoisier quem formulou a teoria atualmente aceita sobre a combustão.

Esta era marcou um período onde os cientistas usaram o "método moderno" de testar teorias com experimentos.

Isso originou uma nova era, conhecida como Química Moderna, à qual muitos se referem como Química atômica.