Química

Propriedades das constantes


É possível, a partir das constantes de equilíbrio da reação direta, obter a constante de equilíbrio da reação inversa. Também podemos multiplicar as constantes.

Seja a reação química:

Exemplo:

 

A sua reação inversa será:

Adição de uma reação

Se duas reações são adicionadas, o novo KC será o produto das constantes originais.

Multiplicação de uma reação

Se duas reações são multiplicadas por um determinado número, a sua nova KC será elevada à este valor.

Veja o modelo:

Divisão de uma reação

Se duas reações são divididas por um determinada número, a sua nova KC será a sua raíz.

Veja o modelo:

Reação com substância pura líquida ou sólida

As substâncias puras líquidas e sólidas possuem concentração constante, onde o valor está incorporado ao da constante KC. Por este motivo, nas expressões de constante de equilíbrio, não se coloca as suas concentrações no cálculo da KC.

Exemplo:

Constante de equilíbrio em função das pressões parciais (Kp)

Se uma determinada reação química apresentar substâncias no estado gasoso, a constante de equilíbrio pode ser dada em função das suas pressões parciais. Exemplo:

Para o cálculo da pressão parcial, utiliza-se o conceito de fração molar (x). Calcula-se a fração molar e em seguida, a pressão parcial do gás. Exemplo:

3 mols de PCl5(g) são colocados em um recipiente, atingindo o seguinte equilíbrio:

No momento do equilíbrio, 60% do reagente sofre dissociação. Sabendo que a pressão total do sistema é 4,8atm, calcule o valor de KP:

1°) calcular a quantidade de mols, sendo 60%:

2°) montar a tabela do equilíbrio químico:

PCl5

PCl3

Cl2

início

3

-

-

reagiu/formou

1,8

1,8

1,8

equilíbrio

3 -1,8=1,2

1,8

1,8

3°) calcular as frações molares:

nT = número total de mols

4°) calcular a pressão parcial dos gases:



O somatório das pressões parciais deve ser igual à pressão total:

Ou seja:

5°) calcular a KP :

Video: Propriedades Físicas dos Compostos Orgânicos parte 1 (Agosto 2020).